02 julho 2010

O Homem perfeito

Retomando a temática sobre o comportamento dos homens, baseada no livro "Silêncio de Adão", nessa postagem, a última sobre o tema, preciso concluir com a referência de masculinidade colocada pelos autores.

Como os autores colocam, no centro entre esses dois padrões está o único homem perfeito, Cristo, a referência para os cristãos em todos os aspectos, inclusive quanto à masculinidade. Ele foi o único Homem que viveu a perfeita masculinidade: "perfeitamente sensível, mas, inconquistavelmente, forte; humildemente dependente, mas, resolutamente, determinado; consciente de cada detalhe, em cada relacionamento, mas inabalavelmente centralizado em Seu relacionamento prioritário". Segundo os autores "Jesus combinou em Si virtudes que são infalivelmente competitivas em nós" - sensibilidade e força.

Os homens sensíveis são aqueles tidos como "fracos". Na verdade são homens que se preocupam com o que se passam com as pessoas, são mansos, expõem suas fraquezas, não têm medo de chorar. Eles são intensos nos relacionamentos. Mas, não desfrutam, como dizem os autores, "a beleza da individualidade e independência dos outros". Assim, muitas vezes, prejudicam seus relacionamentos, pela sua dependência da atitude dos outros.

Os homens agressivos são mais enérgicos e concentrados nas tarefas que devem desempenhar. São muitas vezes os líderes por causa dessa postura. Na posição deles não podem se preocupar muito, como dizem os autores, "em magoar os outros e serem magoados". Muitas vezes, por estarem em evidência, são alvos de muitas críticas pesadas que os fazem construir sobre si uma capa protetora de insensibilidade. Por isso tudo, são pessoas que se concentram mais nas tarefas que nas pessoas. Assim, dificilmente percebem as necessidades dos que estão a sua volta.

Como se pode perceber, tanto sensibilidade quanto força podem ser virtudes e fraquezas. E preocupar-se com as pessoas é tão importante quanto preocupar-se com as tarefas. Como os autores mostraram, e eu concordo plenamente, Jesus foi um exemplo perfeito de homem que conciliou sensibilidade e força em sua vida. Fico me lembrando dos episódios narrados na Bíblia e vejo o quanto isso é verdadeiro, o quanto ele se sensibilizou com as pessoas e o quanto foi firme nos momentos em que precisou ser.

Seguir o exemplo de Jesus, independentemente da religião professada, deveria ser um alvo para todo o homem. Não à toa, brotam livros não religiosos citando Jesus como líder, psicólogo, etc.

Lendo o Evangelho de João me deparei com uma frase de Pilatos durante a crucificação de Cristo que não foi proferida com essa intenção, mas que diz muita coisa:
"Saiu, pois, Jesus trazendo a coroa de espinhos e o manto de púrpura. Disse-lhes Pilatos: Eis o homem!" João 19.5

Naquele momento, o Homem perfeito, e toda Sua história de sensibilidade e força, era apresentado ao mundo.

Um comentário:

Anna Carolina disse...

Como sempre, com saudades de vc e dos seus escritos...TE AMO!!